domingo, 27 de março de 2011

Reciclagem é tema de novela.


“Em Passione, Abreu fala em uma indústria de reciclagem, grande e estruturada, onde os funcionários andam sobre estruturas metálicas e usam equipamentos de segurança. A importância da reciclagem, tanto para a trama quanto para a nossa sociedade também está expressa no clipe de abertura, que dá destaque à transformação do lixo em pessoas, mostrando como as atividades relacionadas à reciclagem podem contribuir com a mudança de vida, através da geração de trabalho e renda, o que além de dinheiro, garante a dignidade a catadores que atuam em pelo menos 56% das cidades brasileiras.”






Propostas
1- Tendo como referência os vídeos e textos postados, escreva um texto dissertativo respondendo à pergunta: qual o papel dos meios de comunicação na ampliação do debate sobre sustentabilidade e na mobilização da sociedade em torno do assunto?

2- Tendo como referência os vídeos e textos postados, escreva um texto dissertativo respondendo à pergunta: você acredita que a sustentabilidade é ainda pouco compreendida pela sociedade, apesar de muito falada atualmente? Por quê?

3- Tendo como referência os vídeos e textos postados, escreva um texto dissertativo respondendo à pergunta: o que é sustentabilidade para você?



sexta-feira, 25 de março de 2011

Lixo extraordinário e Sustentabilidade. Vamos dar uma olhadinha??? Aguardem proposta de redação. Abraços. Lisa


Sustentabilidade

“É necessário encontrar formas cada vez mais criativas para mostrar, ao povo em geral, que o “ser sustentável” está ao alcance de cada um de nós por mais simples e por mais humilde que nossas vidas sejam. Absolutamente, todos têm o poder e a oportunidade de ajudar na luta pela conservação do planeta. O “ser sustentável” é muito mais do que preservar o ambiente e se preocupar com as emissões de carbono para a atmosfera.”



quarta-feira, 23 de março de 2011

Turmas 211, 212 e 213- Questões para o "Trabalho Mestre"

TRABALHO AVALIATIVO
1.    Que temas aparecem com mais frequência nas charges em geral?

2. Qual a relação entre uma determinada charge e o contexto histórico no qual foi produzida?

3
. Que valores as charges ou o chargista querem transmitir?

4
. Qual é o conceito de ética implícito nas charges? Pesquisar “ética”.

5. A imagem que as charges transmitem é negativa? Por quê?

6. Os chargistas retratam o mundo que temos ou o mundo com que sonhamos em construir? Por quê?

7
. Você concorda ou discorda da mensagem transmitida pelos chargistas? Em sua opinião elas retratam a realidade? Justifique.

8. É possível perceber a leitura que cada um faz da charge e a leitura que cada um faz do mundo?


9. Pensar sobre o fato de que a informação escrita, ou na forma de imagem, nunca é neutra. A seleção do tema e a forma como este tema é retratado pelo chargista, está intimamente ligada a sua visão de mundo. Por sua vez, a compreensão dos fatos retratados nas charges traz em si os valores e a visão de mundo de cada um. Você concorda com isso?

10. Refletir sobre a realidade política e social em que vivem, entender que ser crítico em relação a essa realidade, lutar por mudanças na construção de uma sociedade e de um mundo melhor é dever de todo cidadão. Você acredita que os chargistas conseguem desempenhar este papel?

Turmas 211, 212 e 213- Campanha da Fraternidade de 2011- Tema para nossas redações no projeto Talentos Literários.

Assista ao vídeo Tema da Campanha da Fraternidade 2011.

Olá queridos (as) alunos (as), leiam com atenção todas as orientações desta postagem.
Nós faremos o nosso "trabalho mestre"  de LPT usando o gênero textual charge. Você deverá procurar charges que tenham como tema as questões ambientais, por exemplo, sustentabilidade, poluição, consumismo, conscientização do homem em relação ao Planeta Terra..... Em seguida, você deverá responder às perguntas que foram postadas neste blog. Teremos um tempo, durante as aulas, que será destinado a este trabalho. Para finalizar o trabalho, você deverá produzir um texto cujo tema será dado em aula e, posteriormete, publicado no blog. 
O valor do trabalho e o prazo para entrega serão discutidos em aula  e combinados. Aguardem novas orientações. Grande abraço. Profª. Lisa



domingo, 20 de março de 2011

Proposta de redação. Aproveitem. É bom lembrar que o conteúdo é por sua conta. Abraços. Profª. Lisa


Após assistir ao vídeo, reflita sobre a situação e escreva um texto dissertativo. Lembre-se de que  “Catástrofes, às vezes, são contornáveis, porém a radioatividade muda o perfil de um local pelos danos que causa ao meio ambiente e à saúde do seres vivos, pois modifica o DNA. Isso está ocorrendo no Japão.”  Quais as consequências que podem advir da emissão de radiação? Escreva um texto argumentativo dissertativo em 20 a 25 linhas. Dê um título ao seu texto.

terça-feira, 15 de março de 2011

Alunos (as) da turmas 211 e 212. Disciplina- Língua Portuguesa- Agora é só estudar.... Grande abraço a todos. Até a próxima!!!!

Resumo da aula
Dia 15/03/11

è Amigo-secreto- A brincadeira na qual ocorre a famosa troca de presentes deve ser grafada com hífen. Para fazer referência a cada participante, o hífen não é necessário.

Exemplo: O amigo-secreto da empresa será sexta-feira e o chefe é o meu amigo secreto.

èAno-novo (Dicionário Houaiss)- Com hífen designa a celebração e o conjunto de festejos que acompanham a passagem do ano, o réveillon. Sem hífen significa literalmente um novo ano, aquele que se inicia.

è Fatores regionais: é possível notar a diferença do português falado por um habitante da região nordeste e outro da região sudeste do Brasil. Dentro de uma mesma região, também há variações no uso da língua.

è Fatores culturais: o grau de escolarização e a formação cultural de um indivíduo também são fatores que colaboram para os diferentes usos da língua.


è Fatores contextuais: nosso modo de falar varia de acordo com a situação em que nos encontramos: quando conversamos com nossos amigos, não usamos os termos que usaríamos se estivéssemos discursando em uma solenidade de formatura.



è Fatores profissionais: o exercício de algumas atividades requer o domínio de certas formas de língua chamadas línguas técnicas  (médicos, professores....)

è Fatores naturais: o uso da língua pelos falantes sofre influência de fatores naturais, como idade e sexo.

èsigno = significado (é o conceito, a ideia transmitida pelo signo, a parte abstrata do signo) + significante (é a imagem sonora, a forma, a parte concreta do signo, suas letras e seus fonemas)

èLíngua: conjunto de sinais baseado em palavras que obedecem às regras gramaticais.

èSigno: elemento representativo que possui duas partes indissolúveis:  significado e significante.

èFala: uso individual da língua, aberto à criatividade e ao desenvolvimento da liberdade de expressão e compreensão.



domingo, 13 de março de 2011

Agora é só escrever. Turma 231 entregar o texto no dia 18 de março e turma 232 no dia 21 de março. Boa produção. Abraços. Profª. Lisa

Tema  do livro: redação de vestibular, 1ª edição- Profª. Jandira Pilar

 “O Brasil é um país incomum. Uma parte da população vai ‘pras’ cucuias, outra parte vai pra Cancun.” Com base nas ideias do texto acima, reflita sobre o tema e produza um texto dissertativo-argumentativo, posicionando-se a respeito.                                                                

PEIES 2008- UFSM

 

Em entrevista coletiva realizada às 15h desta sexta-feira (06/01), o professor Orlando Fonseca, que faz parte da Comissão Permanente do Vestibular (Coperves), divulgou o tema da prova de redação do Programa de Ingresso ao Ensino Superior (Peies 2008) e do Vestibular 2009.

Transcrição da prova de redação do Peies 2008:
Quem é meu herói?
Será o Super-Homem, ou a Mulher-Maravilha? Será Che Guevara, ou Mahatma Ghandi? Quem sabe Madre Tereza de Calcutá, ou John Lennon?
Na verdade, é _____________________________________
(Preencha com o nome do seu herói, que pode ser um desses ou outro, à sua escolha.)
Escreva um texto justificando a sua escolha e respondendo às perguntas: O que vocês (você e seu herói) fariam de positivo pela humanidade, se tivessem a oportunidade de agir juntos? Com que objetivos? Qual seria o resultado esperado?
Sua dissertação deve ter 25 linhas, no máximo, e 15 linhas, no mínimo. Não se esqueça de dar um título ao seu texto.

quarta-feira, 9 de março de 2011

Olá queridos (as) alunos (as), mais um exercício para vcs. treinarem. Abraços. Profª. Lisa

 Observe o emprego das conjunções nos períodos abaixo.

I. Ora Maria estuda História, ora ela ouve música.
II. Ou você estuda História, ou você ouve música.
III. Se você for estudar História, não ouvirá música.
IV. Se você for ouvir música, não estudará História.

Levando em consideração que a conjunção é um dos elementos linguísticos   responsáveis pela orientação argumentativa do discurso, é correto afirmar:

a) O sentido de alternância só ocorre no caso de I, pois é possível que a pessoa, no caso Maria, faça as duas coisas: estudar e ouvir música.
b) Em II, III e IV não existe a possibilidade de as duas coisas se realizarem, porque há a ideia de uma exclusão explícita, marcada tanto pela conjunção “ou” como pela conjunção “se”.
c) A idéia de alternância está presente em todos os períodos, uma vez que se trata de períodos compostos por orações subordinadas alternativas.
d) A alternância é nítida em II, III e IV, que são períodos cujas orações classificam-se como “condicionais”.
e)A conjunção “ou” nem sempre expressa exclusão.

Turmas 221 e 222- Colégio Fátima

Para reforçar.... Que e "seus apelidos"

 Em “um ratinho que sonha em se tornar um grande chef “, o segmento sublinhado tem a mesma classe gramatical do sublinhado em:

a) Vimos que o ratinho queria ser um grande chef.
b) A verdade é que o ratinho desejava o impossível.
c) O ratinho não comia qualquer coisa que encontrasse pela frente.
d) Linguini, o rapaz, precisa fingir que sabe cozinhar.
e) É possível que o ratinho realize seu sonho.

terça-feira, 8 de março de 2011

Alunos que vão para o vestibular da UFRGS. Vale a pena dar uma olhadinha.

O que é imprescindível na Redação da UFRGS?

UFRGS
Fonte- www.mundovestibular.com.br
Por: UFRGS
Prova de redação da UFRGS é corrigida em duas modalidades: holística e analítica  A prova de redação da UFRGS é corrigida em duas modalidades: holística e analítica. Na primeira, o avaliador leva em conta a forma geral do texto e o impacto no leitor. O segundo avaliador analisa a correção gramatical e as normas de português. Cada um atribui escore entre 0 e 10.

Se os escores atribuídos pelos avaliadores tiverem um distanciamento maior ou igual a 2,5 pontos, considera-se que houve discrepância e a redação é submetida a um terceiro examinador. O resultado final é convertido a um escore entre 0 e 25 (número de questões da prova de língua portuguesa).

O que é imprescindível

• Abordagem do tema – Deve evidenciar a compreensão do tema proposto
• Definição do ponto de vista – Indica o rumo da reflexão inerente a um texto de caráter dissertativo
• Contextualização do assunto – Mostra a reflexão articulada sobre dados da realidade, referências a fontes de informação diversificadas, citações, paráfrases ou alusões respondem pela abrangência de uma redação de natureza dissertativa
• Estruturação – É a divisão hierárquica das partes que compõem o texto e a organização das frases e parágrafos, conferindo progressão e unidade à redação
• Linguagem – Seleção e utilização adequada, conveniente e apropriada do vocabulário, dos processos de coordenação e subordinação, dos recursos de pontuação, das estruturas da língua escrita padrão e das convenções ortográficas (serão aceitas as novas regras da ortografia)

Como é avaliada a redação?

A Prova
A prova de Língua Portuguesa e Redação incluirá 25 questões de escolha múltipla e uma parte específica que corresponde à Redação. Cada uma das partes representa 50% do escore bruto total da prova de Língua Portuguesa e Redação.

Avaliação
A Prova de Redação será avaliada em duas modalidades - analítica e holística - por examinadores distintos, e cada um atribuirá escores independentes entre 0 e 10. Se os escores atribuídos pelos avaliadores tiverem um distanciamento maior ou igual a 2,5 pontos, considerar-se-á que houve discrepância na avaliação da redação. Nesse caso, a redação será reavaliada por outro examinador, que irá ponderar sobre a propriedade das duas avaliações anteriores, equilibrar e/ou atribuir novo(s) escore(s), para desfazer a discrepância e registrar os novos resultados. Resultado
O resultado final da Prova de Redação será representado pela média dos escores das modalidades analítica e holística e expresso, através de conversão, por um escore entre 0 e 25 (número de questões da Prova de Língua Portuguesa).


Eliminação
Os candidatos eliminados do concurso na pré-classificação não terão sua Redação corrigida.

As regras em vigor estabelecem que serão eliminados os candidatos que:

    * a) não acertarem no mínimo uma questão em cada uma das nove provas constituídas por itens de escolha múltipla;
    * b) atingirem menos de 30% de acertos no total das questões de escolha múltipla das nove provas;
    * c) estiverem ordenados, conforme definido no item 6.1 deste Edital, para o curso de 1ª opção ao qual estão concorrendo, em uma posição de ordenamento maior que 4 vezes o número de vagas oferecidas para o referido curso;
    * d) obtiverem em qualquer uma das nove provas escore padronizado igual ou menor do que zero;
    * e) obtiverem escore inferior a 30% do escore máximo na prova de Redação.

A redução de 40% para 30% (prevista no critério 2 acima) implicaria a avaliação de 23.388 redações, conforme detalhado acima, no item 2, p. 14. Enquanto pela exigência de 40% se esperariam menos de 14.000 redações, a exigência de 30% faria aumentar em mais de 9.000 os textos a serem avaliados.

Com essa perspectiva, a UFRGS possibilitou manter sob controle o número de textos a serem avaliados. Esse critério excluiu candidatos que, embora tivessem atendido aos dois primeiros quesitos, continuariam tão longe da classificação que seria impossível obtê-la.

Entretanto, essa mudança de critérios gerou um conjunto de redações de uma população de candidatos diferente do padrão habitual. Com essa medida, a UFRGS esperava um conjunto de textos mais representativo da faixa média, em termos de competência expressiva. O corte reduzido a 30% indicava essa possibilidade, mas, por outro lado, assegurava a presença de candidatos suficientes para atender às vagas em primeira opção, para todos os cursos.

PEÇA POR PEÇA, A ANÁLISE DA DISSERTAÇÃO

O fator Estrutura e Conteúdo constitui uma parte importante da avaliação analítica das redações da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Veja o que é observado em cada um dos itens em que o tópico está dividido:

1 – Ângulo de abordagem:

1.1 – Clareza: Os avaliadores não exigem que o autor apresente a idéia central de sua dissertação logo no primeiro parágrafo. Mas o ponto de vista do vestibulando – o que ele realmente pensa sobre o tema proposto – tem de estar explícito no texto. A redação tem de assumir, efetivamente, uma posição, não ficar em cima do muro.

OBS.: se o texto foge parcialmente do tema proposto, a nota será calculada apenas com metade do peso. Se for identificada uma fuga total do tema, a nota é zero.

1. 2 – Consistência: O texto não pode desviar-se do ponto de vista apresentado. Toda a dissertação tem de girar em torno da posição manifestada, sem contradições. O desdobramento da redação, até a conclusão, deve atender ao que foi anunciado na apresentação do ponto de vista. Os exemplos usados têm de estar relacionados aos argumentos e, este, ao ponto de vista central.

1.3 – Autonomia: O texto tem de revelar esforço pela autoria, apresentar subjetividade e, por conseqüência, gerar interesse no leitor. A autonomia do texto manifesta-se quando o redator organiza as idéias seguindo seus próprios critérios, não se apegando a modelos prévios ou a lugares-comuns.

2 – Estrutura do parágrafo

A maioria dos parágrafos do texto deverá ter, no mínimo, dois períodos. Mas não há um limite rígido para o numero de linhas do parágrafo. O que é analisado é se cada parágrafo expressa uma idéia completa e se a divisão em parágrafos favorece a progressão do texto, evitando a repetição de afirmações.

3 – Coesão textual

Esse item avalia as relações internas do texto: se a estruturação das orações é adequada à argumentação, se os nexos estão de acordo com a hierarquização das idéias e se o autor se utiliza corretamente dos recursos gramaticais para enriquecer a redação.

4 – Caráter dissertativo

Embora a redação da UFRGS exija a presença de uma narração de experiência pessoal para ilustrar a argumentação, o texto final deve ser predominantemente dissertativo, ou seja, a narração estará a serviço da dissertação. O objetivo da redação é a reflexão, não apenas o relato ou a descrição.

OBS.: redações que apresentam predominância da narração ou da descrição sobre a dissertação são avaliadas com metade do peso. Se o texto é apenas narrativo ou descritivo, sem qualquer característica de dissertação, recebe nota zero.

5 – Competência da argumentação

Os argumentos devem explicar o ponto de vista do autor. São a forma de o redator justificar sua opinião. Um bom teste para identificar a qualidade da argumentação de um texto é perguntar "por quê?" à frase que sintetiza o ponto de vista. Se as respostas aparecerem na redação, a competência da argumentação foi alcançada.

6 – Criticidade

O texto não pode refletir apenas o "umbigo" do autor. Também tem de ser confrontável com a realidade. Esse item avalia a relação lógica entre o texto e a realidade objetiva. Por isso, a reflexão do autor não pode ser alienada. Tem de estar associada ao contexto.

7 – Organicidade

Aqui, o avaliador verifica o uso adequado de processos próprios do conhecimento – comparação, análise, classificação e definição, por exemplo. Estão em jogo a dinâmica da argumentação e o emprego de recursos paralelos à reflexão, como citações, dados estatísticos ou argumentos históricos.

8 – Qualidade estilística

O texto deverá apresentar uma linguagem precisa, com vocabulário rico e, ao mesmo tempo, adequado ao ponto de vista apresentado e ao estilo do autor. O uso de gírias, por exemplo, não é condenado, desde que os termos adotados tenham relação com a idéia central do texto e não signifiquem pobreza de vocabulário.
Estatíscas das correções da prova de redação
 As regras para o Concurso Vestibular 2006 em diante sofreram alterações importantes ao estabelecer uma redução significativa no número de questões mínimas que os candidatos deveriam acertar nas provas de escolha múltipla. As regras em vigor estabelecem que serão eliminados, portanto não terão avaliadas as Provas de Redação, os candidatos que:
1. não acertarem pelo menos uma questão ou não obtiveram escore padronizado maior do que zero em qualquer uma das nove provas constituídas de itens de escolha múltipla;
2. não acertarem no mínimo 30% do total das questões de escolha múltipla das nove provas;
3. em sua classificação preliminar, que leva em conta as nove provas constituídas por itens de escolha múltipla, estiverem ordenados em posição de ordenamento maior do que 4 vezes o número de vagas oferecidas para o curso pretendido.
A redução de 40% para 30% (prevista no critério 2 acima) implicaria a avaliação de 23.388 redações, conforme detalhado acima, no item 2, p. 14. Enquanto pela exigência de 40% se esperariam menos de 14.000 redações, a exigência de 30% faria aumentar em mais de 9.000 os textos a serem avaliados. Com essa perspectiva, a UFRGS instituiu o critério 3 (acima detalhado), que possibilitou manter sob controle o número de textos a serem avaliados. Esse critério excluiu candidatos que, embora tivessem atendido aos dois primeiros quesitos, continuariam tão longe da classificação que seria impossível obtê-la.
A aplicação dessas três regras resultou na eliminação de 26.291 candidatos, conforme detalhado no quadro da página 15. Continuaram concorrendo 14.525 candidatos, que tiveram sua Prova de Redação avaliada.
Entretanto, essa mudança de critérios gerou um conjunto de redações de uma população de candidatos diferente do padrão habitual. Com essa medida, a UFRGS esperava um conjunto de textos mais representativo da faixa média, em termos de competência expressiva. O corte reduzido a 30% indicava essa possibilidade, mas, por outro lado, assegurava a presença de candidatos suficientes para atender às vagas em primeira opção, para todos os cursos.
O resultado da prova de redação e sua comparação com as médias obtidas nos anos anteriores podem ser observados no quadro a seguir.
Ano
Média (escala até 30)
Média (escala até 35)
Nº de Redação
2003
18,7266
15,6055
17.604
2004
19,2799
16,0666(*)
15.342
2005
19,7899
16,4916(*)
14.122
2006
18,5935
15,4946(*)
14.525
2007
18,5599(*)
15,4666
14.877
2008
18,2240(*)
15,1867
15.024
2009
17,9723(*)
14,9769
14.535
* Média equivalente na escala

Enquanto se constatava, entre 2003 e 2005, um aumento firme e gradual das médias na prova de Redação, obtidas por populações de candidatos submetidos às regras anteriores, em 2006 constatou-se uma diminuição dessa média, que foi mantida em 2007, 2008 e 2009. As mudanças nas regras em 2006, ao reduzirem a exigência de desempenho mínimo de 40% para 30% de acertos do total de questões das provas de escolha múltipla, certamente possibilitaram que um grupo mais heterogêneo de candidatos tivesse suas redações avaliadas, o que se refletiu nos textos produzidos e também na média.
Prova de redação aplica-se uma regra específica de eliminação: o candidato não deve ter escore inferior a 30% do escore máximo, que é 25% o que implica a exigência de um escore mínimo de 7,5.
O número de candidatos com escores inferiores a 7,5 na prova de redação é mostrado no quadro a seguir, juntamente com as penalizações.
Esse quadro mostra que o critério de nota mínima, incluindo as penalizações, provocou a eliminação de 433 candidatos na prova de redação, ou seja, eliminou 2,98% dos 14.535 candidatos cujas redações foram avaliadas, restando, portanto, 14.102 candidatos concorrentes.
Escore
Motivo
2006
2007
2008
2009
0
Fuga ao tema
2
32
174
40
0
Estrutura não dissertativa
8
13
18
0
0
Menos de 30 linhas
82
84
119
64

Subtotal
92
129
311
104
> 0 e < 7,5
Discussão parcial do tema
21
61
221
222
> 0 e < 7,5
Predomínio de texto não dissertativo
4
5
0
3
> 0 e < 7,5
Cópia/paráfrase de trechos da proposta
17
33
53
26

Subtotal
42
99
274
251
> 0 e < 7,5
Produção textual deficiente
16
26
37
78

Subtotal
16
26
37
78

Total
150
254
622
433


segunda-feira, 7 de março de 2011

VAMOS APROVEITAR O FERIADO DE CARNAVAL PARA PENSAR SOBRE....

Obrigada professora Andréia, imagino que "com a palavra a corretora", os candidatos a uma vaga na universidade e alunos do Colégio Fátima poderão reforçar o desejo de serem aprovados nos concursos, independente, da universidade.

"... é preciso preparo para escrever uma dissertação. O preparo vem antes do momento da redação em si, e deve ser feito com afinco. Não adianta achar que "a banca aceita qualquer coisa", ou que "a banca não vai notar" que o candidato não sabe dissertar. Também não adianta chegar lá e tentar bajular a banca, escrevendo coisas como "graças aos maravilhosos formados em Letras, que hoje corrigem essa redação, e que tiveram a brilhante ideia desse tema incrível (...)", porque não é isso o que a banca avalia. A banca de correção das redações do vestibular da UFRGS avalia muitos elementos, dentre os quais não está o critério "bajulação" e não está, também, o critério "a opinião dele é igual a minha". A banca busca bons argumentos, bem conectados entre si, bem elaborados..." 


 "...não é na hora da redação do vestibular que a criatura vai aprender a escrever "bonito" (ou correto, ou elegante), se não tiver treinado - e muito! - antes! É preciso treino, é preciso esforço, ao longo do processo de preparação. A pessoa deve chegar ao momento da redação já sabendo que (seja o tema que for) terá condições de se expressar, de elaborar opiniões e argumentos, de estruturar frases coerentes e corretas. Se não tiver treinado antes, nada fará com que consiga se sair bem lá, na última hora, quando tudo já está acontecendo..."
fonte- letrasemdestaque.blogspot.com
Professora- Andreia Ilha

quarta-feira, 2 de março de 2011

Turmas 221 e 222- Colégio Fátima Resumo/conjunções

Aditivas-  adição . Unem palavras de mesma função sintática. São elas:e, nem, mas também, como também, além de (disso, disto, aquilo), quanto (depois de tanto),bem como e etc.

Ex: Comi e fiquei satisfeita.

Adversativas oposição/contraste ou compensação entre as unidades ligadas. São elas: mas, porém, todavia, entretanto, no entanto, senão, não obstante , contudo , etc. Antes dos nexos adversativos a vírgula é obrigatória.

Ex:O carro bateu, mas ninguém se feriu.

Alternativas alternância, seja por incompatibilidade dos termos ligados ou por equivalência do mesmos. São elas: ou...ou, ou, ora...ora, já...já, quer...quer, etc.

Explicativas-  explicação, razão ou motivo. São elas: que, porque, porquanto, pois (anteposta ao verbo).

Ex: Ele não entra porque está sem tempo.

Conclusivas conclusão. São elas: pois (posposta ao verbo), logo, portanto, então, por isso, por conseguinte, por isto, assim, etc.

Ex: Ele bateu o carro, estava, pois, embriagado.

Subordinativas

Ligam subordinada a principal. A principal não tem conetivo

Integrantes- que e se  Introduzem uma substantiva.

Quando o verbo exprime uma certeza, usa-se que; quando não, usa-se se.
Afirmo que sou inteligente.

Observação: Uma forma de identificar o se e o que como conjunções integrantes é substituí-los por "isso", "isto" ou "aquilo".
Exemplo:
Afirmo que sou inteligente. (Afirmo isto.)

 
As adverbiais podem ser classificadas de acordo com o valor semântico que possuem.

Causal

porque, pois, porquanto, como, pois que, por isso que, já que, uma vez que, visto que, visto como, que, entre outros.
Como o frio era grande, aproximou-se da lareira.

 Comparativa

que, (mais/menos/maior/menor/melhor/pior) do que, (tal) qual, (tanto) quanto, como, assim como, bem como, como se, que nem

Era mais alta que baixa.

Concessiva

embora, conquanto, ainda que, mesmo que, posto que, bem que, se bem que, apesar de que, nem que,em que, que,e, etc.

É todo graça, embora as pernas não ajudem..

Condicional

se, caso, quando, contanto que, salvo se, sem que, dado que, desde que, a menos que, a não ser que, etc.
 indica uma hipótese ou uma condição necessária para que seja realizado ou não o fato principal.
Seria mais poeta, se fosse menos políticos.

Conformativa

conforme, como, segundo, consoante, etc.
conformidade de um pensamento com o da oração principal.
Cristo nasceu para todos, cada qual como o merece.

Consecutiva

que (combinada com uma das palavras tal, tanto, tão ou tamanho, presentes ou latentes na oração anterior), de forma que, de maneira que, de modo que, de sorte que
Iniciam uma oração na qual se indica a consequência.
Falou tanto na reunião que ficou rouco

Final- finalidade

para que, a fim de que, porque [para que], que
Aqui vai o livro para que o leia.

 Proporcional

à medida que, ao passo que, à proporção que, enquanto, quanto mais … (mais), quanto mais (tanto mais), quanto mais … (menos), quanto mais … (tanto menos), quanto menos … (menos), quanto menos … (tanto menos), quanto menos … (mais), quanto menos … (tanto mais)

Ao passo que nos elevávamos, elevava-se igualmente o dia nos ares. .

Temporal

quando, antes que, depois que, até que, logo que, sempre que, assim que, desde que, enquanto, todas as vezes que, cada vez que, apenas, mal, que [= desde que], etc.

Custas a vir e, quando vens, não demora. ]