quarta-feira, 6 de abril de 2011

Mais um tema. Aproveitem. Abraços. Lisa

(UFC- 2002) PROPOSTA

Leia os textos que tratam do Projeto de Lei que proíbe aplicação de tatuagem permanente e de "piercing" em menores de dezoito anos.
"O PROJETO, em tramitação em Brasília, proíbe - mesmo com a autorização dos pais - crianças e adolescentes de até dezoito anos de idade de fazerem tatuagens ou colocarem "piercings" definitivos, como brincos, argolas, alfinetes ou tachas.”.
("Diário do Nordeste", 09.01.2002)
"Projeto de autoria do deputado Neuton Lima (PFL-SP) proíbe aplicação de tatuagens permanentes ou colocação de "piercing" em menores de idade. A justificativa são as reações alérgicas que os "piercings" podem provocar na pele. O projeto ainda está em fase inicial de tramitação na Câmara dos Deputados. Foi apresentado em dezembro de 2001."
("O Povo", 27.01.2002)
"(...) A segurança e a qualidade dos materiais como agulhas, máquinas, tintas ou jóias (é como chamam os "piercings") é algo que deve despertar a atenção de quem vai fazer uma tatuagem ou colocar um "piercing", pois casos como reações alérgicas às tintas, hepatite e sífilis, além da AIDS, podem acontecer, considerando as condições em que são feitas.
'A colocação, tanto de tatuagens como "piercings", exige perfuração do corpo ou da pele, portanto devem ser feitas com profissionais de boa conduta e com materiais esterilizados, livres de qualquer contaminação', disse o tatuador, que também coloca "piercing", Moacir Alves Teixeira Júnior. (...)
'Eu acho isso correto, porque o menor não tem a idéia amadurecida do que é fazer uma tatuagem ou colocar um "piercing", disse Júnior sobre a possível aprovação da lei."
("Diário do Nordeste", 09.01.2002)
Em um dos estúdios mais antigos da cidade, o do tatuador Juan Heros, além da autorização dos pais, o adolescente deverá levar uma cópia autenticada em cartório da identidade do responsável. Segundo Heros, a questão da nova lei foi discutida durante a 5 Convenção de Tatuagem Internacional, realizada em São Paulo, no ano passado. (...)
Para Juan Heros, as decisões dos deputados não fazem sentido. 'Para votar, o adolescente de dezesseis anos é considerado maior, mas para decidir fazer uma tatuagem ou um "piercing", não. Isso não está certo', declara. 'Quando eles [os deputados] querem usufruir do menor para pedir voto, os menores têm consciência e podem votar. Mas para decidir sobre uma tatuagem, eles não podem. Um voto pode lesar um país inteiro, uma tatuagem, não', destaca. ("O Povo", 27.01.2002)
Escreva um texto dissertativo-argumentativo, posicionando-se a respeito desse Projeto de Lei.


Nenhum comentário:

Postar um comentário