quarta-feira, 1 de junho de 2011

PROPOSTA DA FURG 3 / 2009

PROVA DA FURG 3

O jeitinho brasileiro

            Essa frase virou sinônimo do típico jeitinho brasileiro de querer sempre se dar bem, de driblar a dificuldade pra poder vencer na vida. Tem pessoas que conseguem usar essa inventividade pra fazer coisas positivas, ajudar a outras pessoas, construir coisas dentro da legalidade, mas a maioria das pessoas o fazem de maneira negativa, pra conseguir de maneira mais fácil um objetivo que seria penoso atingir.
            Até que se fosse só isso tudo bem, mas muitas vezes esses atos atropelam outros indivíduos e trazem prejuízos à coletividade. Se estou dualizando muito isso, na verdade, não é bem assim. Muitas vezes a fronteira entre o bom uso da criatividade e a entrada em campo do jeitinho brasileiro em seu lado perverso é tênue e às vezes damos até razão aos infratores, colocando-os como vítimas.
            A gente já começa ouvindo a mentira da mãe sobre a nossa idade no parquinho pra andar nos brinquedos de graça. Depois muitas pessoas descem pela porta da frente do ônibus pra não pagar passagem. Muitos pagam por eles.
            Não tem jeito, é cultural. Ninguém consegue ser 100% honesto neste país. Criatividade exacerbada ou pequenos e grandes delitos se misturam nesse mundo quase incestuoso do jeitinho brasileiro...
(disponível em http://www.blogtematico.blogger.com.br/. Acesso em 23 de setembro de 2008)


Jeitinho brasileiro

            Por definição: o “jeitinho” brasileiro representa, em uma expressão de fácil entendimento, a malandragem histórica do nosso povo. Malandragem com a qual temos contato desde pequenos e ouvimos constantemente nos meios de comunicação e, indiretamente, presenciamos nos atos das pessoas. Há quem tenha orgulho do “jeitinho”, que por ser tão comum, até prefiro omitir as aspas. No entanto, a idéia do malandro está associada à esperteza, como se houvesse algo de esperto em dizer “odeio político ladrão, mas se estivesse no poder, também roubaria”.
(disponível em http://criticasereflexoes.blogspot.com/. Acesso em 23 de setembro de 2008)


            “Quando se refere “o jeitinho brasileiro”, o efeito de sentido produzido não é exatamente o mesmo do “levar vantagem em tudo”. Com “o jeitinho”, o grau de adesão parece ser maior, há mesmo uma simpática tolerância e uma aceitação consentida para com esse modo de ser que identifica e distingue o brasileiro. Uma leitura que pode ser feita do clichê é que ele funciona como um mecanismo compensatório para o brasileiro, frente a tanta adversidade. Afinal, não se pode esquecer que “Deus é brasileiro”, donde o prêmio de consolação”

(LEANDRO FERREIRA. A antiética da vantagem e do jeitinho na terra em que Deus é brasileiro.funcionamento discursivo do clichê no processo de constituição da brasilidade). In: ORLANDI, Eni. Discurso Fundador; a formação do país e a construção da identidade nacional. Campina: Pontes, 1993)


Com base nas ideias apresentadas nos textos acima, produza um texto dissertativo apresentando e defendendo seu ponto de vista sobre o seguinte questionamento: o clichê "jeitinho brasileiro” é uma marca positiva para o Brasil?


Nenhum comentário:

Postar um comentário